Prestação de contas aos planos de saúde contratados individualmente

15/05/2018 07:55

Em atenção à Portaria Normativa nº 1, de 9 de março de 2017, a Divisão de Saúde Suplementar (DSSU/DAS/Prodegesp) informa que o benefício per capita saúde suplementar é um “Ressarcimento Indenizatório”.

Desta forma, a comprovação dos pagamentos das mensalidades dos planos de saúde contratados individualmente é obrigatória e deverá ser feita uma vez ao ano, ou seja, para os pagamentos efetuados no período entre janeiro a dezembro de 2017, o prazo de envio será até o último dia útil de abril de 2018, acompanhada de toda documentação comprobatória, tais como:

I. boletos mensais e respectivos comprovantes do pagamento;
II. declaração da operadora ou administradora de benefícios, discriminando valores mensais por beneficiário, bem como atestando sua quitação; ou
III. outros documentos que comprovem de forma inequívoca as despesas e respectivos pagamentos.

 

Obs: Esta regra não se aplica aos planos Unimed da UFSC.

 

Destaca-se que o não envio das comprovações até o dia 30 de abril de 2018, levará a suspensão do benefício e instauração de processo para reposição ao erário.

Licenças para tratamento de saúde

04/04/2018 08:36

Em abril/2018 iniciou-se a divulgação da campanha da Coordenadoria de Promoção e Vigilância em Saúde (CPVS/DAS/PRODEGESP), que tem o objetivo de reforçar o procedimento realizado na entrega dos atestados médicos dos servidores da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e de seus familiares.

Servidores da UFSC recebem capacitação para realizarem Exames Médicos Periódicos

16/03/2018 13:53

Foto: Jair Quint /Agecom/UFSC

A capacitação do módulo SIAPE-Saúde para servidores da UFSC que realizarão os Exames Médicos Periódicos, ministrada por Henrique Glaeser, da Coordenação-Geral de Saúde, Segurança e Qualidade no Trabalho do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG), ocorreu nesta quinta-feira, 15 de março, no laboratório de informática da Coordenadoria de Capacitação de Pessoas (CCP).

A abertura foi realizada pela Pró-Reitora de Desenvolvimento e Gestão de Pessoas, Carla Cristina Burigo e o diretor do Departamento de Atenção à Saúde (DAS), Paulo Eduardo Botelho. Na parte da manhã foram realizados os módulos administrativos e de cadastros SIAP-Saúde com os servidores administrativos. E no período da tarde a capacitação foi voltada para a realização dos exames com os Médicos do Trabalho.

Os Exames Médicos Periódicos é uma iniciativa do DAS e Administração Central em cumprimento ao Decreto 6.856 de Maio de 2009.

Febre Amarela

31/01/2018 09:33

O Ministério da Saúde informou que, no país, entre julho de 2017 e 14 de janeiro deste ano, já foram registrados 35 casos e 20 mortes por Febre Amarela.

A Febre Amarela é uma doença infecciosa febril aguda, causada por um vírus (arbovírus), e é transmitida pela picada de um mosquito. Existem dois tipos de Febre Amarela, a Silvestre e a Urbana. No caso da FA silvestre, são os mosquitos dos gêneros Haemagogus e Sabethes que transmitem o vírus e os macacos são os principais hospedeiros, e, Na FA urbana o vírus é transmitido pelos mosquitos Aedes aegyptii ao homem. A doença não é contagiosa de pessoa para pessoa, somente ocorre quando há a picada do mosquito já infectado com o vírus.

Os sintomas são: febre, calafrios, dor de cabeça, dores nas costas e no corpo em geral, náuseas e vômitos, fadiga e fraqueza. Pode cursar comquadro grave, e a pessoa desenvolve febre alta, icterícia (coloração amarelada da pele), sangramento e, eventualmente, choque e falência de múltiplos órgãos.Nesses casos, pode levar à morte em cerca de uma semana, se não tratada rapidamente. Quando ocorre a cura, a infecção confere imunidade duradoura, ou seja, a pessoa não terá novamente a doença.

Não existe tratamento específico contra a doença. São somente tratados os sintomas, como as dores no corpo e cabeça e febre, com analgésicos e antitérmicos. Salicilatos devem ser evitados (AAS e Aspirina), já que seu uso pode favorecer o aparecimento de sangramentos.

A prevenção à doença é somente através da vacinação. No Brasil estão disponíveis duas vacinas: a produzida por Biomanguinhos – Fiocruz, utilizada pela rede pública, e a produzida pela Sanofi Pasteur, utilizada pela rede privada. Ambas são elaboradas a partir de vírus vivo atenuado, cultivado em ovo de galinha, e têm perfil de segurança e eficácia semelhantes (estimada em 95%).

Desde 2017, o Ministério da Saúde resolveu seguir orientação da Organização Mundial de Saúde (OMS) e recomenda apenas uma dose da vacina. Então aqueles que já tomaram uma dose da imunização não precisam mais se preocupar.

Quem deve vacinar?

Os bebês com mais de nove meses de idade. A vacina passou a fazer parte da vacinação de rotina no país e foi incluída no calendário de vacinação deste ano.

Todos os moradores dos 162 municípios catarinenses que integram a Área com Recomendação de Vacina contra Febre Amarela (ACRV) e as pessoas que residem ou viajam para regiões silvestres, rurais ou de mata de qualquer um dos municípios brasileiros considerados (ACRV), que ainda não foram vacinados. O Espírito Santo e partes dos estados da Bahia e São Paulo foram incluídos temporariamente pelo Ministério da Saúde na lista de territórios com recomendação de vacinação. Recentemente, o estado de SC definiu que aplicará vacina nos catarinenses que irão visitar qualquer cidade paulista.

A comprovação de vacinação é exigida por alguns países para viajantes brasileiros, já que o Brasil é considerado endêmico para a doença. (Lista disponível no site da Anvisa).

São contraindicações para a vacina: crianças menores de seis meses, idosos acima dos 60 anos, gestantes, mulheres que amamentam crianças de até seis meses, pacientes em tratamento de câncer e pessoas imunodeprimidas. Em situações de emergência epidemiológica, vigência de surtos, epidemias ou viagem para área de risco, o médico deverá avaliar o benefício e o risco da vacinação para estes grupos.

Entre os eventos adversos locais descritos o mais comum é a dor no local de aplicação. Que pode durar de um a dois dias, na forma leve ou moderada. Como eventos adversos gerais podem ocorrer: febre, dor de cabeça e muscular.

Apesar de muito raros, podem acontecer eventos graves: reações alérgicas, doenças neurológicas e doenças em órgãos.( No Brasil, entre 2007 e 2012, a ocorrência destes eventos graves foi de 0,42 caso por cem mil vacinados).

 

Fontes:

www.familia.sbim.org.br/vacinas

www.dive.sc.gov.br/febre-amarela

 

Outubro Rosa UFSC: caminhada conscientiza sobre prevenção do câncer de mama

19/10/2017 11:39

A cor rosa percorreu, por 40 minutos, os corredores e arredores da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) na manhã desta quarta-feira, 18 de outubro. Cerca de 80 pessoas, entre servidores e comunidade, realizaram a caminhada ‘Todos na UFSC rumo à prevenção do câncer de mama’. O evento iniciou às 9h, no hall da Reitoria, com a apresentação do Coral do Núcleo de Estudos da Terceira Idade (Neti) e a presença da Associação da Mulher Catarinense Portadora de Câncer (AMUCC).

Nalzira Rosa dos Santos, durante a caminhada. Foto: Jair Quint/Agecom/UFSC

Entusiasmada e sorridente antes da caminhada, Nalzira Rosa dos Santos, de 77 anos, falou sobre a sua experiência de diagnóstico e tratamento do câncer de mama. Segundo ela, o que nunca lhe faltou foi humor para passar pelo tratamento. “No dia 8 de dezembro de 1999 os médicos falaram o meu diagnóstico: um pequeno caroço na mama esquerda. Eles demoraram uma hora para me contar”, recorda ela.

Um mês depois Nalzira faria a cirurgia e iniciaria a recuperação. “Fiz quimioterapia e radioterapia, fiquei muito bem. Em 2015 o câncer voltou, mas eu não me abati, continuei alegre e firme. Só digo uma coisa para as mulheres: se cuidem e façam tudo o que os médicos pedem para fazer”.

O objetivo da caminhada, conforme o Departamento de Atenção à Saúde (DAS/UFSC), foi promover um momento de reflexão e informação à comunidade interna e externa. “Ações como essa são fundamentais para chamarmos a atenção de todos sobre os cuidados com a saúde. Na correria do dia-a-dia podemos esquecer de ir ao médico, por isso a caminhada percorreu áreas internas e externas da universidade para alertar todos sobre a necessidade de fazer o exame de mama”, explica a servidora do DAS, Bernadete Quadro.

Carla Cristina Búrigo, pró-reitora de Desenvolvimento e Gestão de Pessoas, ratificou a necessidade de informar as pessoas sobre a prevenção à saúde. “Este movimento é necessário para conscientizar a comunidade sobre os cuidados com a vida e a saúde”.

Além da caminhada, outras ações são realizadas na UFSC durante o Outubro Rosa: iluminação temática no prédio da Reitoria, distribuição de adesivos de prevenção, faixas, balões rosa e de cartilhas explicativas da AMUCC durante a caminhada.

Representando a reitora em exercício, Alacoque Lorenzini Erdmann, o pró-reitor de Assuntos Estudantis, Pedro Manique Barreto, leu um breve histórico sobre o surgimento da campanha de prevenção ao câncer de mana no mundo. “Sou sensível ao tema, pois meu filho é oncologista, e reforço a necessidade do diagnóstico precoce por meio da mamografia”.

Um minuto de silêncio foi feito no hall da Reitoria, antes da caminhada, em homenagem ao reitor Luiz Carlos Cacellier de Olivo, falecido em 2 de outubro.

AMUCC entrega cartilha explicativa

A Associação entregou aos participantes da caminhada e à comunidade interna e externa à UFSC uma cartilha que traz a campanha “Câncer sem medo e sem preconceito”. A proposta é conectar as pessoas na prevenção nos cânceres de mama e próstata. Confira algumas informações de hábitos saudáveis contra o câncer previstos na cartilha.

  • Elimine o cigarro;
  • Evite o consumo de bebidas alcóolicas;
  • Matenha uma dieta equilibrada;
  • Diminua o sal, o açúcar e as gorduras;
  • Pratique exercícios físicos regularmente;
  • Controle seu peso;
  • Faça exames periodicamente.

 

 

 

 

 

 

Nicole Trevisol/Jornalista da Agecom/UFSC

Jair Quint/Fotógrafo da Agecom/UFSC

Caminhada Outubro Rosa 2017

06/10/2017 16:59

Convidamos todos para participar da nossa caminhada a respeito do Outubro Rosa no dia 18/10/2017 (quarta-feira) às 9hs. Vista-se de rosa e venha participar conosco! Todos na UFSC rumo à prevenção do câncer de mama!

Lembrando que, no dia 16/10/2017 (segunda-feira) das 8hs às 16hs, a AMUCC estará vendendo camisetas do Outubro Rosa no Hall da Reitoria I.

 

Confira o trajeto da caminhada:

DSST e a Inclusão Social na UFSC

06/10/2017 16:46

Eng. Luciano F. Farias Msc. – Ministrante – DSST/DAS/PRODEGESP/SIASS/UFSC

O Departamento de Atenção à Saúde (DAS), que integra o conjunto de departamentos da Pró-Reitoria de Gestão e Desenvolvimento de Pessoas (PRODEGESP) da UFSC, em consonância com a Política Nacional de Atenção à Saúde do Servidor Público Federal e demais normativas correlacionadas, realizou na ultima semana do mês de setembro, o Curso básico de Princípios e Prevenção de Incêndio, assim como todas as ações de promoção a saúde e segurança, o treinamento teve um gostinho especial e momentos de grande satisfação, o grupo formado por diversos profissionais das mais variadas áreas de atuação, contou com um personagem especial o servidor Sr. Jivago Borttenberg, que soube subtrair através das didáticas específicas e limitadas as dificuldades da visão, revertendo em inclusão social e participativa. Agradecemos a participação de todos, em especial o Sr, Jivago pela paciência e dedicação para com esse ministrante assim como a todos os participantes e organizadores deste curso, em especial ao Técnico de Segurança do Trabalho Jorge Nagel que foi sem dúvida o grande guarda costa nos momentos de aproximação e entendimento,  assim como o Sr. Eng. Marcelo Luiz Galvão.

Agradecimentos especiais ao Corpo de Bombeiro de Santa Catarina – CBMSC

A inclusão está ligada a todas as pessoas que não têm as mesmas oportunidades dentro da sociedade.