DAS – Departamento de Atenção à Saúde
  • Roda de Conversa: Amamentação e Introdução Alimentar

    Publicado em 29/08/2019 às 8:55

    No dia 26 de agosto de 2019, em encontro organizado pela Divisão de Serviço Social, reuniram-se pais e mães gestantes e também mulheres que passaram pelo parto nos últimos meses, para discussão de temas relacionados a amamentação e introdução alimentar.

    A atividade foi conduzida tanto pela enfermeira Isabel, do Centro de Incentivo ao Aleitamento Materno (CIAM) do Hospital Universitário, quanto pela nutricionista Viviane, que atua no alojamento conjunto da maternidade do referido hospital. Além delas, estava presente também a enfermeira Bianca, da recém-criada Sala de Apoio a Amamentação (SAAM), que divulgou o espaço e os serviços oferecidos.

    Durante a roda, foram tratados os seguintes assuntos:

    • Introdução Geral sobre os benefícios da amamentação;
    • Amamentação na 1ª hora pós-parto – hora de ouro;
    • Definição de posições de amamentação, pega correta, demanda livre;
    • Cuidados com as mamas: apojadura/ordenha mamária, prevenção de fissuras e outras complicações precoces e tardias.
    • Alimentação e ganho de peso adequados durante a gestação;
    • Mitos e verdades sobre a alimentação durante a amamentação;
    • Métodos de introdução alimentar.

    Merece destaque a grande interação do grupo, que permitiu a troca de experiências, bem como o esclarecimento de dúvidas.

    Por fim, ressalta-se que os resultados positivos do encontro abriram caminhos para uma próxima edição.


  • 27.8 – Dia do Psicólogo

    Publicado em 27/08/2019 às 10:48

    Fonte: http://redehumanizasus.net/

    No dia 27/08/2019 celebra-se o dia do psicólogo. O Departamento de Atenção à Saúde (DAS) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) parabeniza todos os profissionais e estudantes da área.

    A Universidade oferece os seguintes serviços psicológicos para a comunidade:

    Serviço de Atenção Psicológica – SAPSI

    Junta Médica Oficial – DAS/PRODEGESP

    Psicologia Educacional da PRAE

    Hospital Universitário

    Projeto Amanhecer

     


  • Publicado em 20/08/2019 às 10:29

  • Roda de conversa sobre o tema: Amamentação e Introdução alimentar

    Publicado em 16/08/2019 às 10:17

    No dia 26/08/2019, será realizado uma Roda de conversa sobre o tema: Amamentação e Introdução alimentar, na sala Lantana do Centro de Eventos da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC/Campus Trindade) às 14:00.

    As temáticas a serem tratadas serão:

    • Esclarecimentos acerca do processo do aleitamento materno;
    • Alimentação da lactante;
    • Introdução alimentar aos seis meses de vida.

    A roda de conversa será ministrada por: Isabel Cristina Alves Maliska (Enfermeira/CIAM/HU-UFSC) e Viviane Rodrigues Gonçalves da Silva Dingee (Nutricionista/Nutrição e dietética/HU-UFSC).

    Organizadoras:  Andreia Correia Palacios e Tuany Lohn Cardoso (DAS/PRODEGESP).

    Haverá emissão de certificados.


  • Conferência de promoção à saúde na universidade.

    Publicado em 16/08/2019 às 9:50


  • 15/08/2019 – Mesa Redonda sobre o tema: Violência contra a mulher na UFSC

    Publicado em 06/08/2019 às 10:17

    A Secretaria de Ações Afirmativas e Diversidades (SAAD) em parceria com a Coordenadoria de Promoção e Vigilância em Saúde (CPVS/DAS/PRODEGESP) promovem no dia 15 de agosto de 2019 uma mesa redonda com o tema: Violência contra a mulher na UFSC: aspectos jurídicos e rede de apoio.

    O evento é gratuito e aberto a toda comunidade universitária, não sendo necessária inscrição.


  • Licenças para tratamento de saúde

    Publicado em 06/08/2019 às 10:05

    Divulgamos a campanha da Coordenadoria de Promoção e Vigilância em Saúde (CPVS/DAS/PRODEGESP), que tem o objetivo de reforçar o procedimento realizado na entrega dos atestados médicos dos servidores da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e de seus familiares.


  • Vacinas

    Publicado em 06/08/2019 às 9:59

    1) O que são vacinas, para que servem e como surgiram?

    As vacinas são produtos biológicos que protegem as pessoas de doenças infecciosas. São desenvolvidas a partir de vírus ou bactérias, previamente atenuadas ou mortas, ou ainda, por fragmentos desses agentes.

    A função das vacinas é estimular uma resposta imunológica no organismo da pessoa vacinada, que passa a produzir anticorpos específicos contra essas doenças, o que se chama Memória Imunológica.

    Em 1796, após 20 anos de estudos, o cientista inglês Edward Jenner demonstrou que poderia haver proteção contra a Varíola. Ele observou que as mulheres que trabalhavam como ordenhadoras de vacas, e percebeu que elas tinham lesões de pele da Varíola Bovina (iguais as das vacas), mas não desenvolviam a Varíola Humana (doença bem mais grave e disseminada entre a população na época). Retirou então material das lesões das mulheres e inoculou em um menino. O mesmo teve contato com doentes de Varíola e não desenvolveu a doença.

     

    2) Posso atrasar o cronograma das vacinas? Qual a importância da caderneta de vacinação?

    O calendário vacinal é formulado para proporcionar proteção máxima às pessoas. Atrasos vacinais, principalmente na infância, deixam os pacientes desprotegidos. Antecipar as vacinas também pode ser ineficiente, caso o sistema imune não esteja maduro ou competente.

    O ideal é que não haja atrasos vacinais. A maioria das vacinas é feita na primeira infância (até os dois anos de idade), o que tem o intuito de promover a formação de anticorpos o mais precocemente possível. É sabido que as crianças pequenas são mais suscetíveis às doenças infecciosas, e no caso de muitas doenças, o fato da mãe já tê-la contraído não confere a proteção dos anticorpos maternos ao feto ou bebê.

    Só se deve atrasar a aplicação das vacinas em caso de febre ou infecções mais graves (Pneumonias, Infecção Urinária, etc).

    A caderneta de vacinação é um importante documento de saúde pública e pessoal, que descreve todas as vacinas feitas pela pessoa. Tornando mais fácil a análise pelos profissionais de saúde.

     

    3) Alguma doença pode ser erradicada por meio de vacinas?

    Sim. A Varíola foi erradicada após o experimento de Jenner, com a vacinação em massa da população.

    A Poliomielite (Paralisia Infantil) foi erradicada do Brasil desde 1989. No começo da década de 1960, foi descoberta a vacina oral da Pólio, a famosa Sabin, que pela facilidade de administração possibilitou várias campanhas de vacinação em massa com enorme adesão da população.

     

    4) As pessoas precisam se vacinar contra todas as doenças que circulam na comunidade?

    Sim, com certeza. Existem várias doenças, como o Sarampo, por exemplo, que não circulavam mais em nosso país há muitos anos, e voltaram a ocorrer aqui. Isso se deve a baixa cobertura vacinal em outros países, e em função das migrações, chegaram novamente ao Brasil. Conforme dados do Ministério da Saúde, no ano de 2018 ocorreram 10302 casos confirmados de Sarampo no país, e até maio de 2019, 123 casos confirmados e 348 notificados.

    O Sarampo havia sido considerado erradicado do Brasil em 2016, quando o país recebeu o certificado da Organização Mundial da Saúde (OMS) de país livre de Sarampo. Esse ano, perdemos o título e o Sarampo já é considerado epidêmico no Brasil

     

    5) Por que as coberturas vacinais estão abaixo do desejado no Brasil?

    O Programa Nacional de Imunizações (PNI) é referência mundial. O Brasil foi pioneiro na incorporação de várias vacinas no calendário do SUS, e é um dos poucos países que oferecem um amplo rol de vacinas gratuitas à população. Apesar disso, nossas coberturas vacinais vêm diminuindo nos últimos anos.

    Parece haver uma dicotomia nisso: o sucesso do PNI pode ser uma das causas das quedas nas coberturas vacinais! Como o PNI imunizou amplamente, na infância, a população que hoje tem entre 30-50 anos de idade, várias doenças parece haver “desaparecido”, dando uma falsa impressão de que não existem mais, e por isso a população não percebe a importância da vacinação.

    Além disso, existe o Movimento Antivacinismo vem se difundindo em vários países, sejam por motivos religiosos, motivos filosóficos, medo das reações adversas ou até por orientação médica (médicos homeopatas, naturopatas e antroposóficos).

    Devemos também mencionar as fake news que circulam, que tem o intuito de diminuir a importância da vacinação na saúde pública e incutir medo e dúvidas na população. Notícias erroneamente divulgadas e nunca comprovadas cientificamente, como: vacinas causam Autismo, vacinas não devem ser feitas na infância, vacinas já mataram milhares de pessoas  ou que vacinas podem ser usadas como método contraceptivos.

    Um relatório da OMS afirma que a resistência à vacinação (Movimento Antivacinismo) foi incluído numa lista entre os 10 maiores riscos à saúde global em 2019.

     

    No final do século 20, o CDC, órgão máximo da saúde pública nos Estados Unidos publicou uma lista das 10 maiores conquistas do país no campo da saúde pública entre 1900 a 1999. Em 1º lugar estavam as imunizações! Ao lado das melhorias sanitárias, em particular a água tratada, nada trouxe tantos avanços em benefício da saúde humana quanto as vacinas!

    Texto: Dra. Andréa Benincá de Almeida – Médica do Trabalho no DAS/UFSC


  • 28.7 – Dia Mundial de Luta contra as Hepatites Virais

    Publicado em 26/07/2019 às 11:38

     

    A partir de iniciativa e propostas brasileiras, a Organização Mundial de Saúde (OMS), durante Assembleia Mundial da Saúde realizada em maio de 2010, instituiu a data de 28 de julho como o Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais. No Brasil, as hepatites virais mais comuns são as causadas pelos vírus A, B e C. Existem, ainda, os vírus D e E, esse último mais frequente na África e na Ásia. Milhões de pessoas no Brasil são portadoras dos vírus B ou C e não sabem. Elas correm o risco de as doenças evoluírem (tornarem-se crônicas) e causarem danos mais graves ao fígado como cirrose e câncer. Por isso, é importante ir ao médico regularmente e fazer os exames de rotina que detectam a hepatite.

    Prevenção

    Existem várias medidas que podem evitar a transmissão das hepatites virais:

    • Usar preservativos em todas as relações sexuais;
    • Exigir materiais esterilizados ou descartáveis em estúdios de tatuagem e piercings;
    • Não compartilhar instrumentos de manicure e pedicure;
    • Não usar lâminas de barbear ou de depilar de outras pessoas;

    Vacinação
    A vacina contra a hepatite B deve ser recomendada para jovens até 29 anos, essa vacina faz parte do calendário de vacinação da criança e do adolescente e está disponível em todas as salas de vacina do Sistema Único de Saúde (SUS).

    A oferta dessa vacina estende-se, também, a outros grupos em situações de maior vulnerabilidade, independentemente da faixa etária.

    Fonte: Organização Pan-Americana de Saúde Brasil


  • 27.07 – Dia Nacional da Prevenção de Acidentes do Trabalho

    Publicado em 26/07/2019 às 11:19

    “A segurança é sinônimo de qualidade e de bem-estar para os trabalhadores.”

    A data é símbolo da luta dos trabalhadores brasileiros por melhorias nas condições de saúde e segurança no trabalho. O dia comemorativo propõe uma reflexão sobre como os ambientes e processos de trabalho podem determinar tanto a saúde quanto os acidentes e o adoecimento dos trabalhadores. Ressalta-se que manter ambientes e processos de trabalho saudáveis são uma responsabilidade compartilhada entre empregadores e trabalhadores.

    A conscientização e a formação dos trabalhadores no local de trabalho são a melhor forma de prevenir acidentes. A isso devemos acrescentar a aplicação das medidas de segurança coletivas e individuais inerentes à atividade desenvolvida, como as citadas abaixo:

    • Utilize os Equipamentos de Proteção Individual (EPI);
    • Mantenha áreas de circulação desobstruídas;
    • Não obstrua o acesso aos equipamentos de emergências (macas, extintores, etc.)
    • Informe ao superior imediato sobre a ocorrência de incidentes, para que se possa corrigir o problema e evitar futuros acidentes;
    • Não execute atividade para a qual não está habilitado;
    • Não improvise ferramentas. Solicite a compra de ferramentas adequadas à atividade;
    • Não faça brincadeiras durante o trabalho. Sua atenção deve ser voltada apenas para a atividade que está executando;
    • Oriente os novos colaboradores sobre os riscos das atividades;
    • Não retire os Equipamentos de Proteção Coletiva das máquinas e equipamentos. Eles protegem você e demais trabalhadores simultaneamente;
    • Não fume em locais proibidos. Procure os locais destinados para tal;
    • Confira sua máquina ou equipamento de trabalho antes de iniciar suas atividades, através do check-list;
    • Ao sentar, verifique a firmeza e a posição das cadeiras;
    • Não deixe objetos caídos no chão. Manter o local de trabalho limpo e organizado pode evitar escorregões e quedas;
    • Evite apressar o trabalho, pois além de se expor aos riscos, você também acabará desenvolvendo serviços de má qualidade.

    O Departamento de Atenção à Saúde da Universidade Federal de Santa Catarina conta com a Divisão de Saúde e Segurança do Trabalho (DSST) que tem como objetivo a promoção da saúde e segurança do trabalho, buscando atingir nível de excelência na atuação junto à comunidade universitária.

    Fonte: Blog do Ministério da Saúde Ministério da Saúde Marinha do Brasil