DAS – Departamento de Atenção à Saúde
  • 11/04 – Dia do Médico Infectologista

    Publicado em 09/04/2021 às 12:15

    Diversos médicos infectologistas, devido ao contexto atual de pandemia pela Covid-19, têm trabalhado arduamente, seja na busca por novos tratamentos, atuando nos hospitais ou de forma informativa através de entrevistas em veículos de imprensa, a fim de esclarecer as dúvidas e acalmar a população que sofre um bombardeio diário de fake News.

    Os desafios são imensos para os infectologistas. Nos dias de hoje existe o crescimento de novas técnicas diagnósticas, rápidas e específicas, novos antibióticos e antifúngicos, dessa forma, essa especialidade conseguiu alcançar a cura da hepatite C com drogas de baixa toxicidade, o controle da infecção pelo HIV com melhor qualidade de vida, novas vacinas, anticorpos monoclonais e imunobiológicos cada vez mais eficientes.

    O infectologista, atualmente, é um profissional que consegue entender o paciente dentro de sua inserção social e epidemiológica, é um médico que entende a doença como um todo e não apenas de um só órgão ou sistema. Ele estuda a complexa relação hospedeiro parasita, os mecanismos da inflamação, a sepse, a resistência microbiana, o uso adequado de antimicrobianos e seus eventos adversos.

    Com essa experiência, o infectologista é chamado para elaboração de planos de ação contra epidemias a exemplo da febre amarela em São Paulo, dengue, toxoplasmose, hepatite A, Influenza H1N1, vacinas, entre outros. Constantemente, são chamados pelos órgãos governamentais para estabelecerem políticas de utilização de antirretrovirais, tratamento das hepatites, vacinas. Desse modo, eles compõem grande parte dos profissionais dos comitês estaduais e do Ministério da Saúde: imunização, Aids, hepatites, antimicrobianos, transplantes, entre outros.

    A desigualdade social é a raiz de muitos problemas que envolvem as doenças infecciosas. A busca de alternativas para viabilizar economicamente o sistema único de saúde, garantindo assistência segura, universal e digna para toda a população brasileira estão no dia a dia dos profissionais de saúde.

    Infectologistas reforçam importância de medidas de prevenção à COVID-19

    Num cenário de variáveis envolvendo transmissão, tratamento e cura da Covid-19, os infectologistas apontam que a população precisa seguir mantendo uma série de ações rotineiras, de modo a incorporar práticas sociais de cuidado.

    A infectologista Melissa Medeiros afirma “é preciso que a gente assimile novas condutas, porque isso precisa virar hábito e fazer parte do nosso dia a dia. Essas medidas precisam ser encaradas como coisas naturais”, reforçando que o uso de máscara necessita ser absorvido como um item essencial no contato social, sem brechas para relaxamento. “É importante também ter sempre uma boa higienização, sempre que tiver contato com sujidade, e continuar evitando o contato físico com pessoas, estranhas ou não, que você encontra fora de casa”, completa.

    A infectologista Keny Colares salienta a necessidade de manter as adaptações nas relações sociais nos mais variados espaços – a exemplo de transporte público, sala de aula e postos de trabalho. “É provável que gente tenha que conviver com esses cuidados por algum tempo, talvez por alguns anos. Baseado em outras pandemias que aconteceram no passado, é necessário que a gente continue somando medidas que já conhecemos muito bem e continue diminuindo a circulação na rua. A recomendação é sair de casa apenas quando for necessário e, quando sair, tentar ficar mais distante possível das outras pessoas”.

     

    Fonte:

    telessaude.unifesp.br

    ceara.gov.br

    Saiba mais:

    interfarma.org.br


  • 31/03 – Dia da Saúde e da Nutrição

    Publicado em 29/03/2021 às 12:07

    No dia 31 de março é comemorado o Dia da Saúde e Nutrição, conforme definido pelo calendário oficial do Ministério da Saúde. A data chama atenção para a prática da boa alimentação e sugere uma reflexão sobre como são feitas as escolhas dos alimentos para as refeições diárias.

    Diante da pandemia do Covid-19, cabe uma reflexão sobre o que estamos colocando no prato: “O que coloco no meu prato, está me nutrindo? O que coloco no meu prato, beneficia a minha saúde?”

    Algumas dicas práticas sobre alimentação são: deve ser variada, colorida, equilibrada, intervalos regulares e composta por todos os grupos alimentares.

    O Guia Alimentar da População Brasileira traz as dicas do que fazer no dia-a-dia, mas antes de conhecer os 10 passos é fundamental que você saiba que o guia divide os alimentos em 3 categorias. Aqui estão listados do que devemos consumir mais para os que devemos consumir menos.

    1) In natura ou minimamente processados

    2) Processados

    3) Ultraprocessados

    Veja abaixo:

    Fonte: Brasil. Guia alimentar para a população brasileira. Ministério da Saúde, 2014.

    1) Fazer de alimentos in natura ou minimamente processados a base da alimentação

    Em grande variedade e predominantemente de origem vegetal, alimentos in natura ou minimamente processados são a base ideal para uma alimentação nutricionalmente balanceada, saborosa, culturalmente apropriada e promotora de um sistema alimentar socialmente e ambientalmente sustentável. Variedade significa alimentos de todos os tipos – grãos, raízes, tubérculos, farinhas, legumes, verduras, frutas, castanhas, leite, ovos e carnes – e variedade dentro de cada tipo – feijão, arroz, milho, batata, mandioca, tomate, abóbora, laranja, banana, frango, peixes etc.

    2) Utilizar óleos, gorduras, sal e açúcar em pequenas quantidades ao temperar e cozinhar alimentos e criar preparações culinárias.

    3) Limitar o consumo de alimentos processados

    4) Evitar o consumo de alimentos ultraprocessados

    5) Comer com regularidade e atenção, em ambientes apropriados e, sempre que possível, com companhia

    6) Fazer compras em locais que ofertem variedades de alimentos in natura ou minimamente processados

    7) Desenvolver, exercitar e partilhar habilidades culinárias

    8) Planejar o uso do tempo para dar à alimentação o espaço que ela merece. Planeje as compras de alimentos, organize a despensa doméstica e defina com antecedência o cardápio da semana. Divida com os membros de sua família a responsabilidade por todas as atividades domésticas relacionadas ao preparo de refeições. Faça da preparação de refeições e do ato de comer momentos privilegiados de convivência e prazer. Reavalie como você tem usado o seu tempo e identifique quais atividades poderiam ceder espaço para a alimentação.

    9) Dar preferência, quando fora de casa, a locais que servem refeições feitas na hora

    10) Ser crítico quanto a informações, orientações e mensagens sobre alimentação veiculadas em propagandas comerciais e redes sociais

    Enfim, a alimentação balanceada tem papel fundamental para a saúde dos indivíduos e para a manutenção de um sistema imunológico saudável. Todas essas recomendações sobre nutrição, saúde e o processo de higienização dos alimentos devem caminhar juntos e de forma individualizada não somente neste momento de pandemia, mas também em todas as faixas etárias e condições de saúde, a fim de promover melhor qualidade de vida.

    Maiores informações:

    Guia_alimentar_populacao_brasileira_2ed.pdf

    Fonte:

    https://www.diabetes.org.br


  • Dia Mundial do Câncer: Saiba o que você pode fazer para ajudar na prevenção

    Publicado em 04/02/2021 às 12:36

    O Dia Mundial do Câncer, 4 de fevereiro, é uma iniciativa da União Internacional para o Controle do Câncer (UICC) com apoio da Organização Mundial da Saúde (OMS). O intuito é promover maior conscientização e educação sobre a doença.

    Para o triênio 2020-2022, o  Instituto Nacional de Câncer (INCA) aponta que os tipos mais incidentes de cânceres no Brasil serão os de pele não melanoma, mama, próstata, cólon e reto, pulmão e estômago.

    Diante desse cenário, fica a pergunta: será que é possível adotar medidas preventivas? A resposta é sim! Ainda de acordo com o INCA, a prevenção engloba ações para reduzir os riscos do aparecimento da doença ou para aumentar a chance de diagnosticá-la precocemente. Em primeiro lugar, é preciso impedir que o câncer apareça, o que inclui evitar exposição aos fatores de risco e adotar um estilo de vida saudável.

    A prática de atividade física regular tem se mostrado uma forte aliada no combate à doença. Segundo estudo recente realizado pela Sociedade Americana de Câncer e outras entidades norte-americanas, os exercícios reduzem o risco de desenvolvimento de sete tipos de tumores. Ao fortalecer as defesas do corpo, o exercício ajuda na prevenção não apenas de tumores, mas de diversas outras enfermidades.

    No que tange ao câncer de pele não melanoma, é importante que sejam adotadas algumas medidas que ajudam a evitar o seu aparecimento, tais como a aplicação de filtro solar de três em três horas, evitar exposição ao sol em períodos de maior intensidade de radiação (entre 10h e 16h) e usar proteção física, tais como chapéu e camiseta.

    Segundo a dermatologista do Hospital do Câncer Anchieta, Dra. Letícia Motta, as áreas mais sensíveis são as expostas à luz de forma rotineira como face, tórax e antebraços. Os principais sinais de alerta que se deve ter atenção, de acordo com a médica, são as feridas que não cicatrizam, lesões que sangram com facilidade ou de crescimento rápido.

    Os carcinomas de mama e próstata aparecem em segundo e terceiro lugar, respectivamente, e causam grande preocupação em mulheres e homens na atualidade. O oncologista do Hospital do Câncer Anchieta, Dr. Marcos França, explica que as causas do tumor mamário são variadas. “O sexo feminino possui maior risco em comparação ao masculino. Também há a questão do histórico familiar, obesidade, etilismo, uso de terapia de reposição hormonal e tratamento com radioterapia previamente. Porém, é um tumor curável em grande parte dos casos se detectado na fase inicial, sendo o diagnóstico precoce fator de grande importância para a cura”, destaca.

    Em relação ao câncer de próstata, o médico indica que a avaliação rotineira se inicie entre 40 e 45 anos de idade, com a realização de exames de toque, combinado com a dosagem regular do PSA para investigações de alterações nessa região. Para os que possuem risco familiar, pode haver a necessidade de iniciar as avaliações mais precocemente, a depender de cada caso.

    O oncologista ressalta que, atualmente, existem tratamentos mais modernos para combater o câncer. Ele cita, por exemplo, o uso de novas medicações como os anticorpos monoclonais, que visam a não apenas destruir as células tumorais, mas também impedir que o tumor promova o desenvolvimento de vasos sanguíneos para si.

    Além disso, o especialista cita a imunoterapia. “Novos estudos mostraram a eficácia dessa técnica, que objetiva melhorar o sistema de defesa do paciente para que as próprias células do sistema imunitário combatam a lesão tumoral”, aponta.

    Confira as dicas do INCA para a prevenção ao câncer:

    • Não fumar
    • Mantenha uma alimentação saudável
    • Mantenha o peso corporal adequado
    • Pratique atividades físicas
    • Amamente
    • Mulheres devem fazer o exame preventivo do câncer do colo do útero com regularidade
    • Vacine-se contra o HPV e contra a hepatite B
    • Consuma bebidas alcoólicas moderadamente
    • Evite a ingestão de carne processada
    • Evite exposição solar entre 10h e 16h. Use protetor solar

    Fonte: https://www.hospitalanchieta.com.br/dia-mundial-do-cancer-alerta-para-conscientizacao-sobre-a-doenca/

    Veja também:

    Hospital Universitário da UFSC participa de campanha para lembrar o Dia Mundial do Câncer:

    HU participa de campanha para lembrar o Dia Mundial do Câncer


  • DEZEMBRO VERMELHO: Mês de Conscientização e Combate do HIV/AIDS

    Publicado em 03/12/2020 às 11:57

    No dia 1° de dezembro é comemorado o Dia Mundial de Luta contra a Aids e, por isso, o mês foi escolhido para despertar a necessidade da prevenção, promover o entendimento sobre a doença e incentivar a análise sobre a aids pela sociedade e governos de todo o mundo.

    De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), apenas em 2017, 940 mil pessoas morreram de causas relacionadas ao HIV e 1,8 milhão foram infectadas pelo vírus. Isso equivale a 5 mil novos casos todos os dias.

    Atualmente, 36,9 milhões de pessoas vivem com a doença no mundo. Destas, 1,8 milhão são crianças com menos de 15 anos de idade. Dois terços do total de pessoas infectadas pelo HIV vivem em países da África.

    A Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (Sida/Aids) é causada pelo vírus da imunodefiência humana (HIV). Ele é mais comumente transmitido durante a relação sexual sem uso de preservativo e pela troca de fluidos corporais. O contágio também pode acontecer durante a gravidez, no parto, em transfusões sanguíneas, transplantes de órgãos, pela amamentação e por compartilhamento de agulhas contaminadas.

    Fonte: www.msf.org.br

    O médico Luiz Fernando Sommacal, do setor de Tocoginecologia do Hospital Universitário Professor Polydoro Ernani de São Thiago (HU-UFSC), explicou que a campanha é importante principalmente porque muitos indivíduos infectados não apresentam sintomas. O médico em conjunto com a Unidade de Comunicação Social/HU-UFSCEbserh postaram a matéria abaixo, a qual esclarece vários aspectos sobre conscientização, prevenção, diagnóstico e o papel do HU-UFSC na cadeia de assistência do mês da Campanha Nacional de Prevenção ao HIV/Aids e outras infecções sexualmente transmissíveis (IST). Leia!

    Conscientização e prevenção são as principais mensagens do Dezembro Vermelho


  • NOVEMBRO AZUL: Mês de conscientização sobre a saúde do homem!

    Publicado em 05/11/2020 às 12:19

    Diariamente, 42 homens morrem em decorrência do câncer de próstata e, aproximadamente, 3 milhões vivem com a doença. Conforme dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), foram diagnosticados 68.220 novos casos de câncer de próstata e cerca de 15 mil mortes/ano em decorrência da doença no Brasil, para cada ano do biênio 2018/2019.

    É o tipo de câncer mais frequente entre os homens brasileiros, depois do câncer de pele, ocorrendo geralmente  em homens mais velhos – cerca de 6 em cada 10 casos são diagnosticados em pacientes com mais de 65 anos.

    Sintomas:

    Na fase inicial, o câncer de próstata não apresenta sintomas e quando alguns sinais começam a aparecer, cerca de 95% dos tumores já estão em fase avançada, dificultando a cura. Na fase avançada, os sintomas são:

    – dor óssea;
    – dores ao urinar;
    – vontade de urinar com frequência;
    – presença de sangue na urina e/ou no sêmen.

    Fatores de risco:

    – histórico familiar de câncer de próstata: pai, irmão e tio;
    – raça: homens negros sofrem maior incidência deste tipo de câncer;
    – obesidade.

    Prevenção e tratamento:

    A única forma de garantir a cura do câncer de próstata é o diagnóstico precoce. Mesmo na ausência de sintomas, homens a partir dos 45 anos com fatores de risco, ou 50 anos sem estes fatores, devem ir ao urologista para conversar sobre o exame de toque retal, que permite ao médico avaliar alterações da glândula, como endurecimento e presença de nódulos suspeitos, e sobre o exame de sangue PSA (antígeno prostático específico).

    Cerca de 20% dos pacientes com câncer de próstata são diagnosticados somente pela alteração no toque retal. Outros exames poderão ser solicitados se houver suspeita de câncer, como as biópsias, que retiram fragmentos da próstata para análise, guiadas pelo ultrassom transretal.

    A indicação da melhor forma de tratamento vai depender de vários aspectos, tais como: estado de saúde atual, estadiamento da doença e expectativa de vida. Em casos de tumores de baixa agressividade há a opção da vigilância ativa, na qual, periodicamente se faz um monitoramento da evolução da doença, intervindo se houver progressão.

    O exame de toque retal e de PSA, são os principais meios para detectar a doença precocemente, quando as chances de cura são maiores e os tratamentos, menos invasivos. Converse sempre com seu urologista sobre o tema, tirando dúvidas e quebrando preconceitos. A detecção e o tratamento precoces podem salvar vidas!

    Fonte:

    http://bvsms.saude.gov.br/ultimas-noticias/3351-novembro-azul-no-mes-de-conscientizacao-sobre-a-saude-do-homem-seja-heroi-da-sua-saude

    O urologista do HU-UFSC/Ebserh Roberto Müller e do Departamento de Comunicação da Sociedade Brasileira de Urologia também recomenda procurar o urologista desde cedo. O médico em conjunto com a Unidade de Comunicação Social/HU-UFSC postaram a matéria abaixo, a qual esclarece vários aspectos sobre a saúde do homem, principalmente, sobre o novembro azul. Leia!

    Campanha do Novembro Azul acende alerta para saúde do homem


  • COMUNICADO DE PARALISAÇÃO PARCIAL DAS ATIVIDADES PERICIAIS DA JUNTA MÉDICA

    Publicado em 30/10/2020 às 14:15

    A Junta Médica Oficial informa que devido a diminuição do seu quadro de servidores por questões internas, suspenderá seu ATENDIMENTO PERICIAL PRESENCIAL na semana de 02 a 06 de novembro de 2020.

    As atividades remotas permanecerão ocorrendo normalmente através dos e-mails, conforme orientações na página https://prodegespcoronavirus.ufsc.br/afastamentos-de-saude/.

    Nosso planejamento é retomar as atividades presenciais com a maior brevidade possível, assim que parte da equipe retornar, possibilitando o atendimento aos servidores de forma adequada.

    Pedimos a compreensão de todos pois neste momento, dadas as circunstâncias, não conseguiremos realizar perícias domiciliares ou em outros Campi, bem como termos agilidade na avaliação de solicitações especiais (Pedidos de Horários Especiais, Pensões, Isenções de Imposto de Renda etc).


  • OUTUBRO ROSA: Câncer de Mama não faz quarentena

    Publicado em 08/10/2020 às 12:35

    A Campanha do Outubro Rosa 2020, lançada nesta quarta-feira (7), pelo Ministério da Saúde tem como slogan neste ano: “Cuidado com as mamas, carinho com seu corpo”.

    A campanha chama a atenção das mulheres para importância da prevenção, da detecção precoce da doença, de fazer o autoexame e procurar atendimento médico quando aparecer um possível sintoma do câncer de mama.

    Um levantamento feito pela Fundação do Câncer, com base nos dados do Sistema Único de Saúde (SUS), indicou queda de 84% nas mamografias feitas no Brasil durante a pandemia da covid-19 em comparação com o mesmo período do ano passado.

    “Fica uma observação: quanto mais cedo tratar, mais chance de curar, quanto mais cedo detectar, mais chance de tratar e de curar. É simples assim. O ministério recomenda que o rastreamento desse câncer, ele é muito forte entre 50 e 69 anos, é o ponto mais importante. Mas todas as outras idades também são importantes, desde a jovem mulher”, afirmou o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello.

    A estimativa do Instituto Nacional do Câncer, vinculado ao Ministério da Saúde, é que, em 2020, sejam registrados 66.280 novos casos de câncer de mama em mulheres no Brasil.

    A doença pode ser detectada em fases iniciais, em grande parte dos casos, aumentando a possibilidade de tratamentos menos agressivos e com maiores taxas de sucesso. A recomendação do Ministério da Saúde é que as mulheres de 50 a 69 anos façam uma mamografia de rastreamento, exame realizado quando não há sinais nem sintomas suspeitos, a cada dois anos.

    Tratamento no SUS:

    Mesmo com a Covid-19, o Sistema Único de Saúde (SUS) continuou com o atendimento e a oferta de tratamento às pacientes com câncer de mama. O SUS oferece cirurgias como mastectomias, cirurgias conservadoras e reconstrução mamária, além de radioterapia e quimioterapia.

    O Ministério da Saúde também conta com o Plano de Expansão da Radioterapia no Sistema Único de Saúde (PERSUS) que já implantou 24 aceleradores lineares, com um investimento de R$ 700 milhões. O objetivo do plano é ampliar e criar novos serviços de radioterapia em hospitais.

    Na UFSC:

    No Hospital Universitário da Universidade Federal de Santa Catarina (HU/UFSC) são realizadas 120 consultas por mês em média, considerando 1.450 consultas neste ano, de janeiro a setembro, segundo dados repassados pela enfermeira da Saúde da Mulher, Gisele Perin.

    A Unidade de Diagnóstico por Imagem do HU realiza mutirões com o objetivo de zerar a demanda para um exame de mama específico: core biópsia guiada por ultrassom. O procedimento serve para coletar amostras do tecido mamário, que são enviadas para detectar doenças, como o câncer de mama.

    Foram atendidas 17 pacientes em dois mutirões (um no dia 26 de setembro e outro no dia 3 de outubro), outros dois estão previstos para os dias 17 e 24 de outubro, permitindo que seja zerada a demanda deste tipo de procedimento na instituição. Vale ressaltar que as pacientes estão sendo chamadas para o exame seguindo a fila, e todas foram devidamente encaminhadas pelo Sistema de Regulação (Sisreg).

     

    Saiba mais sobre o câncer de mama (sinais, sintomas, tratamento e prevenção):

    http://bvsms.saude.gov.br/ultimas-noticias/3309-quanto-antes-melhor-outubro-rosa-mes-de-conscientizacao-sobre-o-cancer-de-mama

    Fonte:

    https://www.gov.br/pt-br/noticias/saude-e-vigilancia-sanitaria/2020/10/campanha-reforca-importancia-da-prevencao-e-diagnostico-precoce-do-cancer-de-mama

    https://noticias.ufsc.br/

    https://www.correiobraziliense.com.br/brasil/2020/10/4880567-ministerio-da-saude-lanca-campanha-do-outubro-rosa-2020.html


  • Coronavírus: Mais um motivo para você parar de fumar

    Publicado em 01/09/2020 às 11:17


  • Clique no banner abaixo e acesse o Site Oficial da PRODEGESP e dos Departamentos DAS, DDP e DAP enquanto perdurar a pandemia:

    Publicado em 22/06/2020 às 15:20


  • Atendimento do Departamento de Atenção à Saúde – DAS/PRODEGESP

    Publicado em 06/04/2020 às 15:04

     

    À Comunidade Universitária da UFSC

    Assunto: Atendimento do Departamento de Atenção à Saúde – DAS/PRODEGESP

    Considerando as medidas de prevenção estabelecidas pelo Ministério da Saúde para enfrentamento da pandemia decorrente do coronavírus (COVID-19) e as Portarias emitidas pelo Gabinete da Reitoria da UFSC, encaminhamos abaixo as informações relativas ao Departamento de Atenção à Saúde (DAS/PRODEGESP);

    O DAS/PRODEGESP realizará as atividades em modo de tele trabalho e estará atendendo aos usuários através dos e-mails abaixo:

     

    Setor E-mail
    Direção DAS/PRODEGESP das.prodegesp@contato.ufsc.br
    CSSU – Coordenadoria de Saúde Suplementar (Plano de Saúde)

     

     

     

    https://planodesaude.ufsc.br/

    (assuntos: subsídio, folha de pagamento UFSC, prestação de contas dos planos contratados individualmente, alteração do tipo de plano)

    ——————

    UNIMED

    0800 483500

    faleconoscorc@unimedflorianopolis.com.br

    (assuntos: Declaração Imposto de Renda, boletos, débito em conta, autorizações para exames, carteirinhas, portabilidade de plano, exclusão do plano)

    DISS – Divisão de Serviço Social diss.prodegesp@contato.ufsc.br
    DSST – Divisão de Saúde e Segurança do Trabalho dsst@contato.ufsc.br

    https://dsst.ufsc.br/

    DSST – Medicina do Trabalho  Servidores lotados no Hospital Universitário:

    Informações sobre os Grupos de Risco, casos suspeitos ou confirmados de COVID  – riscos.servidoreshu@contato.ufsc.br

     

    Servidores lotados na Universidade:

    Casos suspeitos ou confirmados de COVID

    https://prodegespcoronavirus.ufsc.br/servidor-ou-funcionario-de-empresa-terceirizada-da-ufsc-com-caso-suspeito-ou-confirmado-de-covid-19/

     

    Informações sobre os Grupos de Risco:

    https://prodegespcoronavirus.ufsc.br/grupos-de-risco/

    CPVS – Coordenadoria de Promoção e Vigilância em Saúde promocaosaude.das@contato.ufsc.br

    exameperiodico.das@contato.ufsc.br

    JMO – Junta Médica Oficial Informações no link:

    https://prodegespcoronavirus.ufsc.br/afastamentos-de-saude/